6 tendências de tecnologia no setor público

By Lorraine Barbosa

fevereiro 19, 2022
Setor público

A transformação digital trouxe recursos que estão sendo implementados em todos os setores da sociedade, inclusive no setor público.

Nos últimos anos, a inovação nesse setor aumentou consideravelmente e ganhou uma dimensão estratégica, modernizando a gestão pública.

Pensando nisso, vamos apresentar as principais tendências de tecnologia no setor público, além de explicar a importância de acompanhar cada um desses avanços.

Para saber mais sobre o assunto, continue a leitura!

Por que é importante acompanhar os avanços tecnológicos no setor público?

As mudanças políticas, econômicas e sociais contribuem para os processos de inovação tecnológica no setor público.

Assim, a demanda por esses serviços cresce continuamente no Brasil. Com as informações mais acessíveis, os brasileiros dispõem de mais transparência na prestação de serviços.

Além disso, a pandemia de COVID-19 acelerou o processo de inovação digital em todo o setor governamental, não apenas em nosso país, mas no mundo inteiro.

As novas metodologias de gestão já estão sendo incorporadas pelos servidores para atender as exigências e necessidades da população.

Sendo assim, acompanhar as tendências e se manter atualizado é essencial para contar com todos os benefícios proporcionados pela tecnologia.

Quais são as principais tendências de tecnologia no setor público?

Confira abaixo as principais tendências de tecnologia no setor público que separamos para você:

 1. Anything as a Service (XaaS)

O termo Xaas foi criado com o objetivo de expressar “qualquer coisa como um serviço”.

O Xaas é, portanto, uma modalidade de negócios que conta com várias possibilidades.

Dessa forma, esse modelo de negócios explora a computação em nuvem para realizar serviços que só podiam ser concluídos de forma presencial.

Entre os benefícios oferecidos por essa tecnologia, podemos citar a redução de custos e o aumento da produtividade dos servidores.

Veja alguns dos exemplos de serviços que são contemplados com o XaaS:

• PaaS (Platform as a Service): a “plataforma como serviço” é um ambiente de desenvolvimento e implementação completo na nuvem, que oferece recursos seguros e inovadores.

• SaaS (Software as a Service): o Saas se refere ao oferecimento de softwares como serviços. Ele não necessita de nenhuma forma de instalação, pois o software fica em um servidor remoto.

• NaaS (Network as a Service): sigla que representa Network as a Service, que pode ser traduzida como “rede como serviço”. É uma ferramenta simples, que precisa apenas de um computador com acesso à internet e ao portal do provedor para funcionar.

2. Serviços públicos hiperconectados

Os serviços públicos hiperconectados englobam o uso de várias tecnologias, plataformas e ferramentas por todo o governo. A ideia é automatizar o maior número de processos de TI.

Portanto, é possível utilizar os recursos oferecidos pela hiperautomação para desenvolver processos hiperconectados e automatizados.

3. Segurança Adaptativa

Em um ambiente de riscos, os que conseguem sobreviver, são aqueles que se adaptam ao ambiente.

Essa ideia pode ser aplicada também no campo da segurança cibernética.

Ou seja, as empresas que se adaptam às mudanças, conseguem alcançar seus objetivos.

A segurança adaptativa leva em conta a implementação de arquiteturas de segurança que se adaptam ao ambiente, para que assim, seja possível identificar ameaças com antecedência.

O modelo foi definido pela Gartner Adaptive Security Architecture e é composto de quatro fases: predição, prevenção, detecção e resposta.

Ele é baseado na tomada de decisões, a partir de avaliações de risco, confiança e segurança.

Desse modo, um dos seus principais objetivos é reduzir os prejuízos e incômodos que uma ameaça, seja interna ou externa, pode causar para uma organização.

Para o setor público, isso também é fundamental.

Aliás, segundo o Gartner, 75% dos CIOs do governo serão diretamente responsáveis ​​pela segurança fora de TI nos próximos anos.

4. Aplicações combináveis e uso inteligente de recursos

O objetivo é fazer com que empresas governamentais adotem os princípios de design combináveis, que possibilitem a aplicação de recursos e a capacidade de adaptação às mudanças que os ambientes governamentais demandam.

5. Assinatura eletrônica

Os processos públicos ainda são burocráticos.

Um estudo do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) mostra que, na América Latina, há uma grande perda de produtividade por conta da burocracia.

Esse mesmo estudo mostrou que o Brasil leva em média 5,5 horas para realizar um único procedimento. Além disso, a análise do BID mostrou que apenas metade dos processos são resolvidos com apenas uma interação.

Uma forma de amenizar esse problema, é através da digitalização de processos. O Brasil, de certa forma, já está evoluindo nessa questão. Aliás, o país é um dos mais avançados da América Latina no uso da tecnologia no setor público.

Assim, a assinatura eletrônica acelera processos e oferece um serviço de maior qualidade aos cidadãos.

Contudo, para manter a segurança com o uso de recursos tecnológicos para assinar documentos eletrônicos, os órgãos públicos precisam observar a Medida Provisória 2.200-2/2001 e a Lei N° 14.063/2020.

A Lei N° 14.063/2020 trouxe algumas regras para o uso de assinaturas eletrônicas na interação interna e entre órgãos e entidades públicas.

6. Atendimento Omnichannel

O omnichannel é uma estratégia que busca oferecer uma experiência integrada para os clientes, através do alinhamento de canais de comunicação online e offline.

Ou seja, os canais são projetados para cooperar entre si. Como resultados, podemos observar clientes muito mais satisfeitos.

A prática já é muito utilizada por empresas privadas, que querem oferecer uma boa experiência para os consumidores.

Contudo, os sistemas públicos também estão realizando a implementação dos canais de atendimento e integração tecnológica. Isso significa que o governo omnichannel é uma tendência que vem crescendo na administração pública.

É que a aceleração digital impacta diretamente a sociedade, quando o assunto é agilidade. Sendo assim, a integração de soluções multicanais, que conectam meios físicos e digitais, se torna algo essencial.

O atendimento omnichannel oferece um grande avanço para diversos tipos de ações, como por exemplo, participações em processos e esclarecimentos.

Dessa forma, o ambiente virtual se torna mais acessível para a população.

Para acompanhar essas e outras tendências de tecnologia no setor público, é imprescindível contar com um parceiro que irá apoiar a sua estratégia de transformação digital, mas com transparência e segurança.

Entre em contato com a Brinov para mais informações!

0 comentários

Mais artigos

Data Fabric: dados prontos para as empresas

Data Fabric: dados prontos para as empresas

Os dados se tornaram ferramentas muito importantes na era da informação. Na prática, as empresas querem acessar dados para obter ideias e disponibilizá-los de forma rápida. Entretanto, muitos negócios não criaram uma estratégia realmente eficiente de gerenciamento de...