Infraestrutura dedicada, escalável e segura.

PRIVATE CLOUD

Slider

“Nuvem privada” refere-se aos serviços de computação em nuvem oferecidos pela Internet ou por uma rede interna privada somente a usuários selecionados e não ao público geral. Também chamada de nuvem interna ou corporativa, a computação em nuvem privada proporciona às empresas muitos dos benefícios de uma nuvem pública, incluindo autoatendimento, escalabilidade e elasticidade, com customização e controle adicional disponíveis de recursos dedicados em uma infraestrutura de computação hospedada localmente.

Além disso, as nuvens privadas oferecem um maior nível de segurança e privacidade por meio de firewalls da empresa e hosting interno para garantir que as operações e dados confidenciais não possam ser acessados por terceiros. Uma desvantagem é que o departamento de TI da empresa é responsável pelo custo e prestação de contas do gerenciamento da nuvem privada. Sendo assim, as nuvens privadas exigem as mesmas despesas de alocação de pessoal, gerenciamento e manutenção que a posse de um datacenter comum.

Dois modelos de serviços de nuvem podem ser utilizados em uma nuvem privada. O primeiro é a infraestrutura como serviço (IaaS), que permite que a empresa use recursos de infraestrutura, como computação, rede e armazenamento como serviço. O segundo é a plataforma como serviço (PaaS), que permite que a empresa faça de tudo, desde aplicativos simples baseados em nuvem até aplicativos empresariais sofisticados. As nuvens privadas também podem ser combinadas com nuvens públicas para criar uma nuvem híbrida, permitindo que as empresas usufruam de arrebentamento de nuvem para liberar mais espaço e dimensionar serviços de computação para nuvem pública mediante aumento da demanda de computação.

Por que usar clouds privadas?

As clouds privadas são a solução ideal para os líderes de TI que desejam disponibilizar recursos corporativos sob demanda, mas não podem (ou não querem) migrar para a cloud pública. O motivo disso pode estar conectado às políticas de segurança, ao orçamento, aos requisitos de conformidade ou às normas reguladoras, como aquelas que governam os setores de saúde e serviços financeiros. As empresas desses setores usam protocolos de criptografia e firewalls para proteger os sistemas de TI. No entanto, as clouds privadas adicionam um nível extra de segurança, em comparação às clouds públicas, devido ao acesso ser limitado.

Benefícios da cloud privada

As clouds privadas são muito mais do que uma simples extensão das plataformas de virtualização. Com elas, é possível abstrair inúmeros recursos computacionais e fornecer acesso por autosserviço controlado. Os benefícios das clouds privadas ultrapassam aqueles oferecidos pela virtualização tradicional, pois elas proporcionam:

Capacidade de infraestrutura ampliada para processar grandes demandas computacionais e de armazenamento

Serviços sob demanda por meio de interfaces de usuário de autosserviço e gerenciamento baseado em políticas

Alocação de recursos eficiente com base nas necessidades dos usuários

Maior visibilidade dos recursos em toda a infraestrutura

Diferente das nuvens públicas, que compartilham estrutura e ambiente virtual, a nuvem privada assegura um espaço exclusivo para as aplicações de missão crítica da sua empresa, robustez e controle total sobre os servidores e sistemas.

Mais eficiência

os recursos são virtualizados e agrupados, garantindo que sua infraestrutura física seja usada no máximo de sua capacidade.

Mais agilidade

os recursos de TI podem ser provisionados sob demanda e devolvidos ao pool de recursos com a mesma facilidade.

Custos menores

os custos de infraestrutura, energia e instalação são usados no modelo de “pagamento conforme o uso”

Mais produtividade da equipe de TI

provisionamento automatizado por meio do portal de autoatendimento

Rápida escalabilidade

aloque os recursos de computação adicionais instantaneamente para atender às demandas de negócios devido aos momentos de pico e ao crescimento ou declínio da empresa

Redução dos recursos desperdiçados

processos transparentes de medição e definição de preços, além de ferramentas de chargeback, permitem que os administradores de TI identifiquem onde pode haver cortes nos custos