UX Design e UI Design: Conheça as diferenças.

UX Design e UI Design: Conheça as diferenças.

Uma apresentação completa do User Interface Design e do User Experience Design – duas peças fundamentais para o Marketing Digital da sua empresa.


UX Design e UI Design: Essas são duas áreas que estão em alta no mundo digital e confundi-las é bastante comum, ainda mais para quem está iniciando no assunto agora.

UX e UI são coisas diferentes. No entanto, há muitas pessoas, até mesmo da área do design, que fazem confusão e geram dúvidas nos demais usando tais termos como sinônimos. Neste artigo, definiremos UX e UI e ainda citaremos suas diferenças e atribuições.

Acompanhe.

Apesar de você ainda não saber muito sobre isso, tenha em mente que essas áreas são muito importantes e se complementam a todo momento. Mesmo divergentes e responsáveis por processos distintos dentro de um projeto, o UI e o UX, frequentemente trabalham em conjunto a fim de otimizar, dentre outras coisas, o Marketing Digital de uma empresa.

Nos últimos anos, o design de UX e UI se tornam muito popular na indústria de tecnologia. Um motivo para essa grande visibilidade pode ser o jeito que os designers e os criativos em geral, veem essas áreas. Elas enxergam muitas possibilidades de ganhos financeiros nos negócios e forte reconhecimento profissional para os que praticam com êxito.

Além do mais, os designs de UX e UI, foram vistos pelas empresas como uma oportunidade de desenvolver produtos de primeira linha em todos os aspectos. Isso porque eles dão a possibilidade de ajudarem a resolver as dores dos usuários na hora de utilizar certos produtos.

Veja agora suas definições.

O que é UX Design?

A sigla “UX’ remete a “User Experience” ou Experiência do Usuário, em português. De modo geral, ele se refere a forma que um indivíduo se sente ao desfrutar de um serviço ou produto digital de dada empresa.

A Experiência do Usuário se relaciona também com o pós uso. Isto é, a sensação, de satisfação ou não, que o usuário terá depois da utilização. Isso inclui seu site, blog, chat ou aplicativo, mesmo que sua empresa não seja totalmente digital.

A definição de um bom design ou mal design são determinados pela forma que o usuário interage com cada elemento do produto ou serviço. A UX preza pela otimização do fluxo do usuário, vendo como ele se comporta na hora de cada integração no site, julgando o detalhamento do conteúdo e como o cliente está reagindo ao que lhe é exposto.

Assim, um design de User Experience faz inúmeras pesquisas para compreender as dores dos indivíduos, seus pontos problemáticos, os concorrentes e as necessidades do mercado. Ele também atua na construção de produtos e serviços que estejam alinhados com os objetivos e a visão da empresa, aprimorando as interações e a percepção dos produtos de acordo com a mesma.  

Para a área de Marketing, a Experiência do Usuário é muito importante. Basta imaginar em quantas vendas algumas empresas não perdem por simplesmente dificultar o contato dos usuários com ela. Pense em um lead que decidiu entrar no site da sua empresa para fazer uma solicitação, mas não compreendeu as instruções para tal. Muitos futuros clientes desistem e acabam não concluindo a ação.

Por isso a UX é tão importante para o Marketing. Ele irá otimizar a relação do cliente com a empresa por meio do design do site, blog ou app.

Segundo Peter Morville, pioneiro nos estudos de UX, a experiência do usuário pode ser vista como um favo de mel com 7 pontos. São eles:

  • Útil
  • Utilizável
  • Encontrável
  • Credibilidade
  • Desejável
  • Acessível

Em resumo, o pensamento de UX sempre remonta ao seu público. Ao entender os objetivos do público-alvo, os designers de UX podem tomar boas decisões que levam o público aonde eles querem ir.

O que é UI Design?

O termo “UI” vem de “User Interface”, traduzida como Interface do Usuário. A meta principal do UI é basicamente guiar o usuário por meio do site durante o seu uso. Ou seja, o UI é focado na aparência e no layout.

O design de UI olhar a disposição dos elementos, como botões, espaços, caixas de textos, imagens e qualquer outros elementos visuais que completem um site e que serão vistos pelos usuários.

Ele gerencia as ações que os usuários terão que fazer para chegar ao objetivo, criando e construindo a aparência de uma interface. Assim, ele vê a parte estética, como cores, estilos, animações, tipografia, por exemplo.

Um bom trabalho de UI se baseia na navegação do usuário, fazendo com que ela fique a mais natural e intuitiva possível. Para chegar ao sucesso, é preciso que esses profissionais de designers de interface do usuário se mantenham atualizados quanto a alguns padrões gráficos e tendências de design que se modificam junto com as tecnologias.

Assim como o UX é importante para a área de Marketing, a UI também é. Se o seu site tiver uma navegação ruim e não cumprir o papel de guiar os usuários da forma correta pela interface, os usuários não farão as ações que sua empresa espera. As vendas podem acabar fracassando por causa de pequenos erros de navegabilidade e experiência.

E UI mal feito custa caro para o Marketing, pois todo o trabalho pode ser jogado fora. Viu como a UX e a UI se relacionam? Se a UI não for feita da maneira correta, a UX é prejudicada também.

Um ponto interessante a ser citado é a ideia de Responsividade para o UI. Como a cada dia surgem mais telas de interação no mundo, os designers de UI precisam se adaptar a todas elas.

Dessa forma, o objetivo é fazer com que as interfaces sejam bem vistas em quaisquer dispositivos móveis ou desktop, otimizando-as e deixando-as atraentes para todos os usuários. Hoje, ao invés de criar várias versões distintas para cada dispositivo, os designers de UI constroem uma versão que se adapta a qualquer meio e qualquer tela. Interessante, não?

Principais diferenças entre UX e UI Design

  • UI é necessariamente visual, UX não precisa.

Seguindo o nome, a User Interface só existe se houver uma tela para ser vista, como sites ou aplicativos, diferente da UX.

Em vários casos a experiência do usuário não terá a ver com a tela, poderá ser outros fatores externos. Às vezes, é capaz da UX ser otimizada com uma menor quantidade de telas para o usuário interagir.

  • UI guia e a UX otimiza a navegação.

Enquanto o UI guia o usuário na navegação pelo site, o UX faz com que tal navegação seja a melhor possível. Com a ajuda da UI, as ações ficam mais fáceis de serem feitas e a UX deixa tudo mais explicado e coerente.

Esses componentes se completam para deixar a página mais receptiva ao público.

  • UI preza pela razão e a UX pela emoção

Visualizar e entender as melhores práticas de uso de um site é um trabalho racional, por isso quem faz é um design de UI. Compreender o modo como os usuários preferem ser guiados.

Já a UX busca uma forma de agradar os usuários. Tenta oferecer uma emoção positiva quanto ao que o usuário recebe, compreendendo a situação em que ele está fazendo aquela busca e o que espera encontrar.

3 Benefícios da integração entre UX e UI .

Como visto anteriormente, o User Interface Design (UI) e o User Experience Design (UX) são componentes que trabalham em conjunto num site, por exemplo, para conseguir otimizar todo o processo de captação de clientes.

O trabalho deles em conjunto é essencial para várias partes do processo, por isso, não se deve escolher entre usar um ou outro, e sim utilizar ambos concomitantemente. Veja alguns:

  • Geração valor para a marca e para o público

Conhecendo o comportamento da persona e com uma interface otimizada, a geração de valor para sua empresa aumenta junto com a do público, já que estará entregando um bom material para ele utilizar.

Com uma UI e uma UX bem-feita, mesmo que o usuário ainda não esteja no momento de compra do funil de vendas, ele certamente voltará ao seu site pela experiência e navegabilidade.

  • Maior chance de retenção

Com uma interface mais bem programada, sem erros e problemas, o usuário gasta mais tempo n seu site. Assim, você consegue mais chances de vendas e retenção de leads. Em vários casos sua empresa até consegue um engajamento do público no blog, por exemplo.

A experiência positiva e uma interface otimizada são bons para a captação.

  • Consolidação da marca

As marcas que visivelmente se preocupam com a experiência total do usuário tendem a ser bem vistas pelo mercado. Com isso, sua empresa consegue se fortalecer diante da concorrência e acaba ganhando muitos pontos com os clientes.

Há ainda a possibilidade do compartilhamento. Quando indivíduos conectados às redes sociais se agrada com algo, eles compartilham com os demais suas marcas favoritas.

De qualquer maneira, com essas melhorias de UX e UI, sua empresa será lembrada e comentada.

Conclusão

Agora que você já conhece UX e UI Design e já entende que eles estão intimamente ligados, mas com significados e funções diferentes, que tal implementar esses componentes na sua estratégia digital?

Usar cada um deles de forma separada pode trazer bons resultados para sua empresa, mas usá-los em conjunto será muito mais produtivo.

Continue acompanhando nossos artigos sobre tecnologia e descubras as melhores maneires de otimizar sua performance digital.

A Brinov é uma empresa de consultoria de negócios e tecnologias que está apta para ajudar a sua empresa a crescer cada vez mais.

Conheça nossos serviços.  

Como aliar Tecnologia e Estratégias de Negócio?

Como aliar Tecnologia e Estratégias de Negócio?

Tecnologia e estratégias de negócios : Não podemos negar o ganho de produtividade e eficiência que a junção dessas áreas trás para uma organização. E ainda mais quando se fala no ganho de ROI trazido pelos investimentos em soluções tecnológicas nas mais variadas áreas.

No entanto, o mercado está em constante evolução e por isso, fica cada vez mais difícil gerar valor.

Ficou interessado no assunto? Continue lendo …

Aliar estratégias de negócio com a tecnologia pode não ser uma tarefa fácil se sua empresa já estabeleceu uma produção sem o uso completo dela. No entanto, utilizar as inovações tecnológicas alinhada com os objetivos do negócio pode ser uma oportunidade para gerar valor real.

Entenda como unificar esses dois pilares! Acompanhe.

Como unificar as estratégias de negócio com tecnologia?

Na unificação da tecnologia e estratégias de negócios, é notório que alguns líderes não têm uma imagem clara sobre o papel da tecnologia com a função de apoiar a geração de valor.

Por isso, a cultura organizacional pode ser uma barreira na hora de iniciar o processo.

Os impulsionadores de mudança que podem ajudar a superar essas barreiras são:

  • Os imperativos estratégicos: despesas operacionais, (ROI) retorno sobre o investimento, lucro por ação, lucratividade, margens e receita que contribuem para direcionar e restringir decisões;
  • Tendências e interrupções: são fatores externos, como as expectativas dos investidores, inovações tecnológicas, convergência da indústria, mudanças no mercado e na preferência do cliente que pressionam a empresa a se movimentar.

Ambos influenciam a direção da organização e são elementos importantes para o desenvolvimento de uma agenda de transformação e uma estratégia coesa de negócios e tecnologia.

E mais, um processo de desenvolvimento de estratégia colaborativa entre os líderes de cada área, negócios e tecnologia, pode contribuir para garantir um melhor resultado. Para guiá-los, sugerimos:

Agenda de transformação : Negócios e Tecnologia

A agenda de transformação define os objetivos, a missão e a visão de negócios habilitadas pela tecnologia e servindo como base para uma estratégia em conjunto.

Comece com um objetivo possibilitado pela tecnologia que compreenda:

  • para quem é a criação de valor;
  • o nível de ambição em criar valor — por parte do setor de tecnologia;
  • o nível de priorização da manutenção da eficiência operacional;
  • o relacionamento da visão de tecnologia com a estratégia corporativa: divergências e pontos comuns

Depois, procure oportunidades de negócios em que a tecnologia possa criar soluções com valor diferenciado e sustentável. A mesma pode ajudar a mudar a cadeia de suprimentos e formar novas experiências de clientes, por exemplo.

VEJA TAMBÉM: 5 dicas para prospectar cientes

Pense nas empresas aéreas. Não faz muito tempo que elas inovaram o modelo de negócios baseados na tecnologia, operando a partir de sites de venda de passagem: uma tecnologia simples que criou impacto no valor gerado para o consumidor ao ponto otimizar compra de passagens.

Por isso, para determinar como crescer, identifique as tecnologias necessárias para alcançar oportunidades específicas e, finalmente, identifique os recursos necessários e habilite os sistemas tecnológicos.

Estratégia entre negócios e tecnologia

A liderança pode reconhecer a falta de recursos ou o alinhamento com as metas de negócios abrangentes. Desse modo, eles podem priorizar oportunidades baseado no conhecimento do processo.

A confiança na capacidade da tecnologia de liberar um valor de negócios provavelmente deve ser conquistada e está enraizada na excelência operacional. Talvez a estratégia inicial precise focar em coisas como custo, estabilidade e na construção de credibilidade e confiança.

Uma estratégia combinada de tecnologia e negócios deve produzir um roteiro para alcançar cada oportunidade, alinhada com os recursos, sistemas e investimentos em tecnologia.  Esse roteiro ajuda a limitar a proliferação de iniciativas voltadas para a tecnologia que drenam recursos sem ampliar os objetivos da empresa.

Então:

Podemos dizer que a tecnologia pode ser vista como uma oportunidade para criar vantagem competitiva. Assim, os profissionais do setor devem assumir o papel de identificar essas oportunidades e de estimular a junção da tecnologia e estratégias de negócios. Eles precisam reconhecer que o impacto da tecnologia vai além da função do TI e fazer dela o centro do desenvolvimento das estratégias de negócio.

Qual é o papel de TI hoje?

Nesse processo de mudança que mencionamos podemos identificar uma mudança no setor de TI. Esse será um desafio para quem é mais técnico.

A equipe de TI é, habitualmente, procurada para resolver problemas técnicos e não para gerar valor, mas as expectativas de mercado elevaram-se. Hoje, muitas organizações repensaram o papel da tecnologia, os modelos operacionais tradicionais e as estruturas organizacionais.

É preciso saber como alinhar estratégias e gestão tecnológica para inovar e criar valor de maneira mais eficaz.

Sabe-se que as funções de negócios e tecnologia eram separadas, o que frequentemente reduzia a colaboração e levava à execução em projetos atrasados ​​e processos inflexíveis.

A tecnologia deve ser colocada como catalisadora para:

  • Para maximizar o valor dos investimentos em tecnologia;
  • operar com agilidade;
  • responder às necessidades de clientes e funcionários;
  • manter a competitividade,
  • romper e transformar.

Esse conteúdo foi útil para você? Se sim, conheça a Brinov Consultoria e encontre soluções para seu negócio com nossos consultores.

Transformação Digital: O que é, porquê investir e suas tendências

Transformação Digital: O que é, porquê investir e suas tendências

A transformação digital deixou de ser algo futurista e passou a ser totalmente presente na sociedade atual e consequentemente refletiu no ambiente empresarial. Por isso as empresas que não investirem em transformação digital podem estar com os dias contados.

Pensando nisso, elaboramos este guia para esclarecer suas dúvidas sobre a transformação digital e porquê investir nela. Preparado? Então, avante!

Neste post você verá:

  • O que é transformação digital
  • Porque investir em transformação digital
  • Tendências da transformação digital

O que é Transformação Digital

Pôr em prática a transformação digital significa reestruturar os processos da sua empresa, adotando uma cultura digital com o intuito de ter mais produtividade e resultados.

Para realizá-la, é preciso fazer algumas mudanças estruturais na empresa, vendo a tecnologia como um elemento principal.

Mas você pode estar pensando: Ah, mas eu já tenho um site, uma página no Linkedin e faço armazenamento de arquivos em nuvem. Isso não faz da minha empresa uma empresa digital?

Bom, não é bem assim. A transformação digital requer algumas mudanças mais radicais, que podem demorar um pouco e incluir investimentos talvez mais altos do que você imagina. Mas isso não quer dizer que somente empresas grandes podem implementá-la.

Além disso, também é preciso investir tempo, porque não é apenas uma questão de tecnologia e marketing, pois para implementação da transformação digital o maior desafio se encontra na gestão.

É importante entender que a transformação digital não é somente para empresas de tecnologia. Pelo contrário, pode agregar muito a outros segmentos.

Também é importante que a transformação digital se inicie com os decisores da empresa, e não somente do setor de TI, por exemplo. Porque exige investimentos financeiros e planejamentos que abrangem a empresa por completo.

Porquê investir

Segundo a Sysorex, empresa de análise de dados, existem em média 7 bilhões de dispositivos móveis em uso em todo o mundo e, 90% dos dados disponíveis no mundo foram criados nos últimos 2 anos.

Esses números mostram o quanto a tecnologia está presente no cotidiano da grande maioria das pessoas.

Tudo isso vem provocando grandes mudanças nas empresas, de modo que investir somente na digitalização dos processos não é mais um diferencial, é apenas uma forma de estar alinhada com sua concorrência.

Conheça os principais motivos para investir em transformação digital:

Processos operacionais mais eficientes

A implementação da transformação digital permite ter alta performance nos processos internos da empresa, tornando-os mais simples e eficientes. Isso pode motivar a equipe, deixando de gastar energia com atividades desnecessárias e consequentemente aumentando a produtividade.

Uma maneira de sua empresa implementar a transformação digital é tornando processos antes offlines em processos digitais.

Por exemplo, ao invés de marcar reuniões presenciais, é possível utilizar ferramentas digitais que possibilitam reuniões online, como a Zoom, Skype for business, Google Meet etc. Ou então em caso de reuniões constantes, é possível capacitar os funcionários para que utilizem ferramentas de gestão de processos, que tornam o processo mais rápido e eficiente, assim gerando melhores resultados.

Aqui na Brinov, por exemplo, dentre outras ferramentas, utilizamos o Microsoft To-Do para auxiliar nas diversas atividades do dia a dia, aumentando nossa produtividade. Também utilizamos o Ploomes, uma ferramenta de automação dos processos de vendas, no time comercial. No time de marketing, utilizamos o RD Station, que é uma plataforma para a Gestão e Automação de MKT Digital.

Melhorar a experiência com o cliente

A transformação digital permite segmentar melhor o público, abordando-o de formas personalizadas e satisfatórias, fazendo ofertas mais direcionadas etc., assim fidelizando as pessoas deste determinado público.

É muito importante levar em consideração o foco na experiência do cliente, pois hoje é um grande diferencial para as empresas.

Também vale considerar a importância, pois é possível saber o que as pessoas estão falando da sua empresa por meio de monitoramento, assim conseguindo feedbacks para implementar melhorias.

Ainda está em dúvida se deve ou não investir na transformação digital? Então se liga que abaixo irei abordar sobre as tendências da transformação digital.

Tendências

O entendimento das recentes inovações em transformação digital permitirá que as empresas se adaptem às modernas realidades do mercado.

A internet das coisas (IoT), big data, data-driven, realidade virtual e aumentada, inteligência artificial, machine learning, automação de marketing e business intelligence são apenas algumas das tendências de transformação digital. A seguir, irei falar um pouco sobre cada uma delas:

Internet das coisas

A IoT é a conexão de diversas interfaces, além das que estamos mais acostumados, como o tablet, computador e o tão utilizado smartphone.

Combinando essas interfaces com sistemas automatizados, é possível coletar e analisar informações em tempo real para criar ações de respostas.

Dessa forma, podemos concentrar em trabalhar soluções finais, oferecer valor real aos usuários ou clientes e usar os dados para criar experiências mais personalizadas.

Segundo o IDC, 31,4% das organizações pesquisadas lançaram soluções de IoT em 2016.

Big data e data-driven marketing

Segundo o relatório do McKinsey Global Institute, o volume de dados cresce 40% por ano.

Isso acontece devido ao aumento das novas tecnologias, aumento de acesso de pessoas na internet e automação dos dados.

Porém, é preciso analisar esses dados e transformá-los em um plano de ação, para obter melhores informações e ter uma grande vantagem competitiva, para assim ter sucesso nessa estratégia. É assim que o big data atua.

Além disso, o big data e o data-driven marketing tornam possível que todas as decisões importantes sejam baseadas completamente em dados e análises.

Por isso, para ser bem-sucedido na jornada de transformação digital, você precisará estabelecer novas formas de alavancar e monetizar dados. A análise dos dados precisará ser incorporada em todos os canais da sua empresa.

Realidade virtual e aumentada

A realidade virtual (VR) e realidade aumentada (AR) irão transformar o ambiente de trabalho e proporcionará novas maneiras de entregar produtos e serviços aos clientes.

essas tecnologias vão complementar a estratégia de marketing para considerações essenciais.

Elas permitem que os usuários apreciem a escala real dos objetos e são soluções úteis para empresas de varejo, por exemplo. Com elas os cliente vão poder examinar e quase que “tocar” um produto antes de comprar! Já pensou nesta possibilidade?

Inteligência Artificial e Machine Learning

A inteligência artificial veio para mudar a forma com que as empresas fazem marketing. Os dados coletados sobre os clientes serão diversos e as soluções propostas pelas empresas poderão ser mais criativas e personalizadas.

Além disso, a inteligência artificial tem a tecnologia de aprendizagem de máquina ou machine learning. Essa tecnologia não requer análise humana e pode fazer conclusões com base em informações coletadas por meio de seus algoritmos. Ela pode ajudar a automatizar e otimizar os processos de marketing, por exemplo.

Essa tecnologia também está sendo muito aplicada com os chatbots. Que resumidamente é um robô que conversa com as pessoas via chat, facilitando muito a comunicação e a segmentação de conteúdos e esclarecimento de dúvidas para os clientes.

Dispositivos de voz como a Alexa da Amazon e o Chrome Cast do Google Home, são alto-falantes que se ativam por voz, podem ter suas funções customizadas e usam a tecnologia de machine learning para aprender com o seus usuários.

Automação de Marketing

A automação do marketing facilita o trabalho do time de marketing otimizando processos do dia a dia na análise de dados e ao personalizar os serviços e atendimento.

Também é importante para fazer a melhora na experiência do usuário, reunindo dados do cliente e proporcionando um contato personalizado e individualizado entre a marca e ele de acordo com a etapa da jornada de compra em que se encontra.

Isso é muito importante pois pode aprimorar o processo de compra do usuário.

Business Intelligence

O business intelligence é uma estratégia que tem como objetivo trabalhar a análise do que funciona ou não e o que contribui para a tomada de decisões do seu negócio.

Os softwares de BI são uma ótima forma de acompanhar seus clientes em tempo real no funil de vendas e identificam padrões de comportamento para saber quais são os seus clientes mais rentáveis, fator que reduz o ciclo de vendas.

Por exemplo, o Power BI da Microsoft é uma ferramenta muito eficaz de visualização de dados interativa que ajuda na organização da fonte de dados.

Quando alinhado o BI com o Big data, fica mais fácil mensurar os resultados e coletar dados de desempenho do seu negócio.

Ele permite que ocorra uma análise mais aprofundada dos dados e ajuda a empresa a realizar uma pesquisa competitiva de inteligência de mercado.

Conclusão

Apesar de todas essas tendências serem importantes, é preciso que você entenda que não adianta ter uma tecnologia ótima, mas não fazer o que for prometido para o cliente de forma fluida. Transformação digital não se trata somente de tecnologia, mas principalmente sobre a estratégia e processos.